Greenpeace ▪ Voluntários do Rio de Janeiro

Grupo de Voluntários do Rio de Janeiro


Deixe um comentário

Feira de Cultura – Instituto Metodista Bennett

Por Ricardo Machado – voluntário.

Feira de Cultura – Instituto Metodista Bennett.

O Grupo de Voluntários do Greenpeace/RJ compareceu a “Feira de Cultura” do Instituto Metodista Bennett. (20/10), atendendo ao convite feito por intermédio da Profª. Kátia Goloni (Instituto Metodista Bennett) por ocasião de nossa palestra apresentada nesse estabelecimento de ensino (Vânia Stolze como palestrante tendo sido auxiliada por Ricardo Machado, Rafael Daguerre – Set/2012).
Feira de Cultura - BennettEntre os trabalhos apresentados, pelos alunos, o Greenpeace foi citado no segmento meio ambiente mediante comentários dos alunos tendo como referencia as informações recebidas durante a apresentação de nossa palestra sobre as atividade e campanhas (Energia / Amazônia – desmatamento e clima / Oceano).

Os alunos disponibilizaram para os visitantes o material impresso do Greenpeace, que deixamos no dia da palestra alem da apresentação de um painel com depoimentos de alunos sobre ações e atividades do Greenpeace, e vídeos da nossa organização (Inspiring ações).

A importancia de nossas atividades junto aos estabelecimentos de ensino ficou ratificada mediante os elogios de pais de alunos sobre nossas atividades principalmente sobre o Projeto Escolas, uma vez que vários pais disseram que seus filhos se motivaram em prol da causa ambiental após assistirem nossa palestra.

Alem do agradecimento pelo comparecimento feito pela Profª. Kátia Goloni, alguns professores demonstraram interesse em nossa palestra não só para o próximo ano letivo como para outras Escolas.

Contatos para palestras.


2 Comentários

Ato público – Água Negra

Por Rafael Daguerre, voluntário.

Hoje, alguns voluntários participaram do Ato Público ÁGUA NEGRA em defesa da água, em defesa da vida. Por duas horas os voluntários estiveram ao lado de outras organizações ambientalistas e animalistas, em frente à Petrobras. Com faixas, cartazes, encenação teatral e discursos, informamos ao público que transitava sobre os males que a estatal petrolífera vêm causando ao meio ambiente.

Essa é uma luta interminável. A luta contra a indústria petrolífera. O antigo exemplo de Davi e Golias nos caberia aqui – sendo que aqui, Golias, é bem mais poderoso. O Golias aqui discutido, a tão enaltecida estatal (na verdade, nem tão estatal assim) Petrobras, simplesmente, vem cometendo crimes ambientais sem precedentes; e claro, com a complacência dos órgãos fiscalizadores: IBAMA, INEA e ANP. É a velha briga contra o poder econômico; poder que a coloca num patamar onde os “fins justificam os meios”. Infelizmente, muitas pessoas ainda pensam assim.

Por exemplo: o processo de licenciamento da COMPERJ (Refinaria da Petrobras em construção – Itaboraí) é imoral e tem provocado uma série de conflitos com as populações tradicionais, o que levou à morte de quatro pescadores artesanais de Magé. É isso mesmo: quatro pessoas foram assassinadas. A Petrobras sequer se manifestou ou procurou investigar o problema. Planeja-se que os efluentes industriais (compostos de: óleos, graxas, fenóis, cianetos e outros venenos), altamente perigosos, venham a ser despejados no litoral de Itaipuaçu, impactando suas ilhas, praias de Maricá, a vida marinha, como também a área marinha do Parque Estadual da Serra da Tiririca, as praias de Itaipu, Itacoatiara, Camboinhas, Sossego e Piratininga, e também, ilhas oceânicas de Niterói.

É inadmissível que fiquemos assistindo passivamente tantos crimes. Como ficamos, por exemplo, com a transformação da Baía de Guanabara que hoje nada mais é do que uma latrina de dejetos químicos e industriais – isso sem falarmos das praias. Todos são crimes seríssimos, pois afetam a qualidade de vida de milhares de pessoas. Infelizmente são temas pouco divulgados e, consequentemente, desconhecidos do grande público.

Mais um triste detalhe: é realmente assustador observar os funcionários (não todos, claro) que, ao passar por nós – enquanto protestávamos –, sorriam com ar de deboche, de certa “superioridade”. Como se fôssemos nós, os ingênuos. É triste perceber que certas pessoas preferem se enganar; talvez, para não perderem o emprego; talvez, simplesmente não se importem. Não sei. Assim, voltamos a velha máxima escrita acima, que serve para todos nós e não somente para grandes empresas: os fins justificam os meios?

Assinam o Ato Público:
Sociedade Vegetariana Brasileira – Grupo Rio, Grupo Katumbaia, Harmonização dos Animais na Terra – HAT, Divers For Sharks, Centro de Estudos do Mar Onda Azul, Organização 350, Aliambra, Fórum dos Afetados pela Indústria do Petróleo e Petroquímica, Rede Ambiente TV, Associação Rio Antigo de Ecologia e Cultura, Rede Alerta contra o Deserto Verde Fluminense.


Deixe um comentário

Novos Voluntários no Grupo do Rio de Janeiro

Olá, amigos!

O processo seletivo para novos voluntários se encerrou e temos o prazer de contar com a força de mais vinte e dois Guerreiros do Arco-íris.

VoluntáriosSEJAM TODOS MUITO BEM-VINDOS!!!

Abaixo, o relato da Ana Carolina, uma das voluntárias recém selecionadas. Esperamos que apreciem!

O Greenpeace Brasil realizou mais um processo seletivo para a nova geração de voluntários aqui no Rio. As inscrições para o voluntariado estavam abertas no site da organização, onde foram preenchidas as devidas informações sobre nós  – candidatos, para a realização da pré-seleção.

“Sabendo que seria difícil entrar para o grupo, realizei esse primeiro passo com o pensamento positivo, mas sem gerar grandes expectativas. O pensamento positivo conseguiu alcançar a segunda etapa do processo que foi realizado no Parque Lage . O encontro com os atuais voluntários – um time consistente e animado, propôs para nós candidatos, uma dinâmica em grupo para a realização de um Ponto Verde, usando nossa criatividade e disposição para fazê-lo, abordando temas de campanhas que já acontecem no Greenpeace.

O encontro foi super legal e saí de lá ainda mais animada, e sempre com o pensamento positivo para seguir na próxima etapa. Novamente, recebi um e-mail com mais um questionário a ser preenchido para um novo encontro.

Parti para mais um sábado acordando cedo e coloquei o sorriso no rosto para avançar na etapa final do processo! Esse encontro foi ótimo! Conhecemos mais uma galera que faz parte do grupo de voluntários do Rio e trocamos muitas ideias sobre a organização e os ideais que defendemos em nome dela. Toda a dinâmica do dia teve uma interação muito boa da galera atual com a turma nova. Nesse dia, só alegria!

Nós, os vinte e dois candidatos finais, fomos selecionados!

Novos Voluntários

Essa felicidade já foi focada para trabalho no Green. Trabalhando individualmente ou em grupo, o voluntariado faz a diferença. Cada vez mais a atuação de voluntários é fundamental para o sucesso de causas de interesse social e ambiental. Esse ano, o Rio de Janeiro será palco da Conferência Rio+20 – grande foco para a causa ambiental. A conferência, que acontecerá em Junho, traz grande oportunidade de atuação para o Greenpeace.

Devido a esta demanda e a vinda do navio Rainbow Warrior – tivemos a chance de realizar neste final de semana um treinamento com o grupo de logística do escritório de SP, com muitas informações sobre o navio, e a capacitação para tornar esses dias de visitação ainda mais especiais para o público. Foi um final de semana muito produtivo, cansativo e também muito divertido! Agradeço a participação de todos, cada um teve o seu papel – muito importante – para a formação de um grupo tão positivo!

Agora, é foco nas campanhas! Para saber um pouco mais, clique aqui!

Peace!”
Ana Carolina, Voluntária do Rio de Janeiro.