Greenpeace ▪ Voluntários do Rio de Janeiro

Grupo de Voluntários do Rio de Janeiro


Deixe um comentário

Ato simbólico – 2 anos de Fukushima

Hoje, dia 11/03, completa-se dois anos de um dos maiores acidentes nucleares da história: o desastre de Fukushima, no Japão. O terremoto, o tsunami e a crise nuclear que mataram 19 mil pessoas (provavelmente mais) e deixaram desalojadas mais de 300 mil. A província de Fukushima e seus arredores tornaram-se desertas – sem vida. Apenas um retrato do enorme problema que é o sistema de produção de energia nuclear – problemas à saúde humana e ao meio ambiente já são bem conhecidos.

Consulado do Japão

Consulado do Japão

Nós, do Grupo de Voluntários do Rio de Janeiro, para relembrarmos esta triste data e fazermos com que as autoridades não a esqueçam, e também, que percebam o absurdo que é continuar por esse caminho, fizemos um ato simbólico em dois locais diferentes; locais que representam o Japão e a cultura japonesa. Estivemos no Consulado do Japão e no Centro Cultural e Informativo do Japão (fotos) num protesto pacífico e “silencioso”.

Consulado do Japão

Consulado do Japão

Centro Cultural e Informativo do Consulado do Japão

Centro Cultural e Informativo do Consulado do Japão

A catástrofe nuclear de Fukushima fez o mundo inteiro voltar a discutir e refletir sobre o futuro da energia nuclear e, particularmente os japoneses, que se manifestam frequentemente contra esta solução energética.

“Os acidentes com a energia nuclear são muito perigosos e agora temos a prova de que houve consequências também nos corpos das nossas crianças. Mas eles dizem-nos: ´tu tens casa, volta para casa´. Eu quero que o resto do mundo conheça todos os perigos de Fukushima”, diz uma cidadã originária da região afetada pela catástrofe. (fonte)

Conheça a campanha Brasil Livre de Usinas Nucleares – Assine!


Deixe um comentário

O fim da energia nuclear no Japão

O governo japonês anunciou hoje um marco histórico em sua estratégia energética e ambiental garantindo que até 2030 o país não terá mais usinas nucleares.
JapãoA promessa de que todos os reatores nucleares do arquipélago japonês sejam desligados até 2030 foi bem recebida pelo Greenpeace Japão, mas a organização não deixou de ressaltar que 18 anos ainda é muito tempo para manter a população livre de ameaças de novos acidentes.
A decisão é um reconhecimento de que o Japão não precisa e não quer energia nuclear, e foi tomada após incessantes protestos pela população japonesa depois do desastre em Fukushima.

Mesmo assim, o Greenpeace Japão alertou que o anúncio poderia ter sido mais ambicioso e que o governo e o setor energético devem se esforçar para eliminar rapidamente a energia nuclear e incentivar soluções que evitem futuros desastres.

“A estratégia do governo japonês envolve a desativação das usinas quase duas décadas depois do que deveria ter sido feita. Também esclarece para os empresários que as energias renováveis são o futuro”, disse Kazue Suzuki, da Campanha de Nuclear do Greenpeace Japão.

Kazue ainda disse que “o governo deve usar sua nova estratégia de energias renováveis para políticas mais ambiciosas, para buscar melhores medidas de eficiência energética, e progredir com avanços cada vez mais ambiciosos por uma economia verde que assegure a prosperidade futura do Japão”.

O Greenpeace demonstrou em sua publicação Revolução Energética que o Japão pode se recuperar economicamente sem deixar de cumprir suas obrigações de reduzir os gases de efeito estufa até 2020 e sem ter que ligar novamente nenhuma das usinas que foram desativadas depois do acidente em Fukushima.

O governo do Japão já obteve alguns resultados positivos. No dia 1o de julho, após apenas um mês de operação, 560 MW ou 20% do objetivo total do governo para 9 meses foi alcançado, mostrando que a legislação adequada já está incentivada o começo de da revolução das energias renováveis.

“Por muito tempo, os líderes do Japão ignoraram a população e colocaram em risco a saúde, segurança e estabilidade econômica de cada cidadão investindo em energia nuclear. E enquanto as pessoas de Fukushima continuarem a sofrer, todo o resto do país também sofrerá”, afirmou Suzuki. “Esse anúncio deve se tornar uma lei, caso contrário será visto como nada mais do que falatório para arrecadar votos antes da próxima eleição”.

“Um futuro livre de energia nuclear não é uma escolha, é inevitável. Essa estratégia energética fornece ao Japão o primeiro passo para eliminar os riscos nucleares para sempre. Além disso, é uma mensagem para que outros países também se comprometam a por um fim ao uso dessa tecnologia perigosa de uma vez por todas”, acrescentou Suzuki.


Deixe um comentário

Dia de Mobilização – Césio-137, 25 anos de descaso

Hoje, dia 13 de setembro, estamos promovendo um Dia de Mobilização em memória dos 25 anos do maior acidente radiológico fora de uma usina nuclear, ocorrido nas ruas de Goiânia. Siga através da página Facebook do Greenpeace as atividades que serão realizadas em todo o Brasil pelos voluntários: www.facebook.com/GreenpeaceBrasil

Cesio

Nas atividades serão coletadas assinaturas para o Projeto de Iniciativa Popular da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares. Para ajudar colher assinaturas, faça o download da petição – Brasil Livre de Usinas Nucleares – e mande as folhas assinadas para o endereço indicado no formulário.

Precisamos de um milhão e meio de assinaturas para levá-la ao Congresso. Participe!


Deixe um comentário

Voluntários lembrarão acidente com césio-137

Na próxima quinta-feira, 13 de setembro, o Brasil rememora uma triste data: há 25 anos acontecia o maior acidente radiológico fora de uma usina nuclear, ocorrido nas ruas de Goiânia. A contaminação, causada pelo descarte incorreto de uma cápsula de césio-137, gerou um número terrível: 64 vítimas fatais e outras 6 mil pessoas contaminadas.

Em memória dessas vítimas, vamos para as ruas com nossos voluntários informar a população sobre os riscos que a energia nuclear traz. Serão coletadas assinaturas para o Projeto de Iniciativa Popular da Coalizão por um Brasil Livre de Usinas Nucleares. Para mais informações sobre o movimento acesse: brasilcontrausinanuclear.com.br
Cesio-137O Greenpeace acredita que um mundo baseado em fontes de energias renováveis é possível. Acesse aqui e conheça o cenário energético alternativo que demonstra que o Brasil tem potencial de sobra para tornar-se um país verde e limpo.

Confira datas e locais dos eventos:

1) Belo Horizonte
Local: Praça da Liberdade
Horário: 19h30-21h30

2) Manaus:
Local: Largo de São Sebastião
Hora: 17h-18h30

3) Porto Alegre
Local: Esquina Democrática (Rua dos Andradas x Av. Borges de Medeiros)
Horário: 17h-20h

4) Salvador:
Local: Local praça Newton Rique em frente ao Shopping Iguatemi
Horário: 17h-18h

5) São Paulo:
Local: Avenida Paulista, vão do MASP
Horário: 15h-18h

6) Rio de Janeiro:
Local: Largo do Carioca
Horário: 13h-17h

Postado por Pedro Torres
Pedro Torres é da Campanha de Clima e Energia do Greenpeace Brasil
Saiba mais


Deixe um comentário

Festival Internacional de Filmes sobre Energia Nuclear

Começou ontem e vai até o dia 28 de maio o Urânio em Movi(e)mento – 1º Festival Internacional de Filmes sobre Energia Nuclear. O objetivo do festival é informar a sociedade e discutir a questão nuclear a partir de filmes independentes nacionais e estrangeiros. Os filmes serão exibidos no Centro Cultural Parque das Ruínas e no Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, ambos em Santa Teresa.

Além dos filmes, há no Parque das Ruínas uma exposição de cartazes de diversos países sobre a questão nuclear, pertencentes à fundação holandesa LAKA Foundation. No Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, os visitantes poderão ver a exposição fotográfica Mãos de Césio, sobre o acidente nuclear do Césio 137, ocorrido em Goiânia em 1987.
Para ver a programação completa do evento e maiores informações, clique aqui.
Centro Cultural Laurinda Santos Lobo
Rua Monte Alegre, 306 – Santa Teresa
Centro Cultural Parque das Ruínas
Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa