Greenpeace ▪ Voluntários do Rio de Janeiro

Grupo de Voluntários do Rio de Janeiro


2 Comentários

Um sábado no Quilombo Solar

Quilombo Solar – 03/05/2014

Escrito por Francy Batista – Voluntária do Greenpeace Rio

Como sabem, o grupo de voluntários do Rio está participando do Projeto Quilombo Solar, e no último sábado eu finalmente consegui participar. Estivemos junto aos escoteiros e jovens da comunidade participando da atividade que teve início às 9h e terminou às 11:30h.

Iniciamos com uma dinâmica quebra gelo, e logo em seguida tivemos uma palestra sobre os diversos usos da energia do Sol, passando pela energia solar fotovoltaica e energia solar térmica para geração de eletricidade, finalizando com a Cozinha Solar. Após, iniciamos a oficina de fogão solar de papelão.
Nos separamos em grupo e cada equipe iniciou a transformação de seu simples papelão em fogão solar.

Após todos terem feito seus respectivos fogões, eu, Caio, os jovens e alguns escoteiros, fomos montar o fogão solar master da Vânia, que tem formato de parabólica e cozinha de forma mais profissional.Ele é ótimo para unir laços e fortificar espírito de equipe! 

Depois de montado, Vânia, a coordenadora do projeto, mais uma vez nos deu explicações e tirou dúvidas, dentre elas a diferença entre um fogão solar de papelão e o monstrinho!
E ao fim das explicações nossa atividade se encerrou – sem feijoada e sem samba.

Mas, ficou a fome de quero mais e o ritmo de vamos continuar!

 

Nós e o fogão Solar “monstrinho”Imagem

 

Atividade com os jovens do quilombo e os escoteiros            ImagemImagem

 

Anúncios


Deixe um comentário

#keepcalmvádebike

Hoje e amanhã teremos greve dos rodoviários no RIO, então é uma ótima oportunidade para você criar coragem e tirar a sua bike do “estacionamento” e bota-la para rodar a cidade.
Uma maneira também de mostrar ao governo que precisamos investir mais em outras alternativas além do transporte de ônibus.

Keep calm e vá de bike!!!

Depois conte a sua experiência pra gente, tenho certeza que não vai se arrepender.Imagem


Deixe um comentário

De bike ao trabalho

Hoje, 09 de Maio é o dia de Bike ao Trabalho. Um evento que é realizado anualmente em todas as partes do mundo para mostrar que a bicicleta também é uma opção de transporte para o trabalho e não só para o lazer.

Nosso voluntário André Coelho fez a distribuição de panfletos na noite anterior, para lembrar os nossos motoristas desse dia e conscientizar a população.

Lembrando que não só hoje, mas qualquer outro dia você também pode tentar esta opção que além de saudável é de extrema importância para melhorarmos a nossa mobilidade urbana.

O planeta e a população agradecem. Confere aí:

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Making off – Super PV de domingo

Deixe um comentário

IMG-20140326-WA0011

Estamos animados e preparando uma super atividade para esse próximo domingo 30/03.

Vamos fechar Março com chave de ouro, trazendo várias campanhas importantes em prol da nossa cidade para o conhecimento do público…enquanto domingo não chega, você pode ir curtindo as fotos dos bastidores…

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.493537037435978.1073741831.426251940831155&type=1


Deixe um comentário

Sol. Por que não aproveitar esse ‘mundão’ de energia?

Imagem

Escrito por Ricardo Machado. Ambientalista, Administrador de Empresas e Voluntário Greenpeace/Rio.

Ao longo da história do progresso da humanidade, a utilização prioritária de energias não renováveis vem causando sérios problemas ambientais nas várias partes do nosso planeta, e a tendência é de esgotamento e/ou escassez, fato que provocará sérios problemas de ordem econômica e social nas várias partes do mundo. A utilização de energias alternativas se constitui em providências imprescindíveis à infraestrutura necessária para garantir tranquilidade à existência humana. Nesse contexto, a energia solar aparece como uma excelente alternativa, notadamente nas regiões de maior incidência de calor proveniente do sol que é extremamente abundante em nosso Estado, e o maior aproveitamento da energia dele proveniente vai beneficiar não somente o meio ambiente, mas os próprios consumidores, que passarão a dispor de uma energia limpa, renovável e muito mais barata

O cenário de demanda crescente e escassez de recursos naturais impõem ao gestor público a busca por novos modelos de produção de energia, preferencialmente por processos que não causem danos ao meio-ambiente. O estímulo à produção de eletricidade pelo aproveitamento da luz solar não é apenas necessidade, mas obrigação para o desenvolvimento de qualquer plano racional de expansão da oferta desse insumo no País. “Trata-se de geração de energia limpa e renovável, cuja matéria prima é inesgotável e abundante, além de, obviamente, gratuita.” (Julio Campos).

O Brasil e rico em recursos naturais e possui recursos humanos disponíveis para atuar na geração de energia solar fotovoltaica. No entanto, apesar de notáveis esforços em algumas fontes renováveis de energia, são poucos os resultados que promovam a inserção da energia fotovoltaica na matriz elétrica nacional. As Parcerias Públicas Privadas (PPPs) são o futuro das relações entre poder público e setor privado, e essa modalidade de concessão representa a ponte para o desenvolvimento do Brasil. Com a crescente necessidade de se economizar dinheiro e recursos naturais, mediante uma tecnologia sustentável, um dos grandes trunfos é a sustentabilidade gerando economia tanto financeira quanto ecológica, e o resultado é mais satisfatório, As fontes naturais de energia são gratuitas e não prejudicam o meio ambiente, pode ser realizado por meio de uma PPP, em que tanto o setor público quanto a iniciativa privada usufruem dos benefícios a curto, médio e longo prazo.

A tendência mundial é a busca por novas fontes de energia que possam atender ao acelerado crescimento da demanda, de forma não poluente e sustentável. No Brasil, temos diversas fontes energéticas, sejam as que já estão consolidadas como as que despontam no cenário, a médio e longo prazo. No caso da geração de energia elétrica a partir de fontes fotovoltaicas o mercado brasileiro é extremamente promissor. Além do fato do país possuir uma fonte inesgotável do principal insumo, o Sol, também dispõe da matéria prima essencial para produção do silício utilizado na fabricação das células fotovoltaicas. A cogeração de energia solar, por sua vez, permite que alguns anos após o investimento, o consumidor nem tenha conta de luz para pagar, apenas a taxa de utilização da rede. Uma nova resolução do governo permite que residências e pequenas empresas façam geração para a rede nacional. Mas a falta de incentivos é um obstáculo.

“O atraso na energia solar fotovoltaica se deve, segundo o consultor Carlos Faria Café, a um intenso lobby para manter as usinas e o negócio na mão de poucos. Ele refere-se então a existência de tecnologias paradas no tempo em universidades. E conclui reiterando que a energia solar é de longe a mais barata fonte de energia. Produzindo energia solar perto do local de consumo (em nossos telhados), seus custos são bastante competitivos, escreve ainda o consultor Carlos Faria Café. Evitam-se grandes usinas e linhas de transmissão: a infraestrutura está pronta e vem do sol de graça. Em várias regiões do Brasil, hoje já é mais barato produzir a própria energia do que comprar das distribuidoras.”

Temos um país com alto potencial para a geração de energias renováveis, A localização geográfica do Brasil favorece a geração de energia solar em grande escala em regiões onde o sol brilha o ano inteiro. “Moro num país tropical, abençoado por Deus” (Jorge Ben Jor), e rico em energia por natureza e que, por isso mesmo, deveria fazer mais para aproveitar um de seus mais preciosos recursos naturais: a energia proveniente do Sol.Porém, a má administração do governo faz com que ele desperdice oportunidades de explorar fontes de energia limpa. Está na hora de mudar o dito popular “Deixa estar para ver como é que fica”

Os investimentos em ciência e pesquisa também são baixos, ficando concentrados nas áreas ligadas ao petróleo e a biocombustíveis”. O discurso oficial sempre pendeu mais para “vamos esperar o preço cair’ do que para criar legislação que incentive essas energias renováveis.” (Ricardo Baitelo).

Ninguém tem dúvidas de que as energias renováveis vão dominar no futuro. É um processo irreversível, com a Resolução 482 da Aneel*, publicada em dezembro de 2012, abrem-se perspectivas para que os brasileiros possam gerar sua própria energia através do mecanismo de net-metering, onde é possível instalar uma usina solar em nosso telhado e, através do uso de um relógio de medição bidirecional, trocar energia com a distribuidora. “A saída para o desenvolvimento da produção solar, segundo Lima, é através da Geração Distribuída, com a instalação de painéis fotovoltaicos em casas, empresas, estabelecimentos comerciais e prédios, por exemplo.”

Fica o questionamento. Você já se perguntou por que não usar a energia solar? O Sol brilha, despejando 1000 watts de energia por metro quadrado da superfície do nosso planeta. Por que não aproveitar esse mundão de energia?

 

Referencias.

*A Resolução Normativa (RN) 482 de 17/04/12, publicada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) regulamenta a micro e mini produção de energia, ou seja, proprietários de residências, comércio e indústria poderão produzir sua própria energia e, a maior novidade, é que a energia gerada e não consumida no local possa ser enviada à rede para consumo em outro ponto e gerar créditos para o consumidor na próxima fatura.

* Baitelo, Ricardo. Coordenador da Campanha de Energias Renováveis do Greenpeace Brasil.

* Café, Carlos Faria.Fundador e presidente da Studio Equinocio

* Jor. Jorge Ben. Jorge Duílio Lima Meneses. Compositor e cantor

* Lima, Hudson. Economista do Departamento de Energia e Tecnologias Limpas

* Financiadora de Estudos e Projetos – Finep

* Campos. Julio José de. Deputado Federal Júlio Campos (DEM/MT)

http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=124741

http://www.ecodesenvolvimento.org/noticias/brasil-nao-e-potencia-verde-por-ma-administracao-e

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/MEIO-AMBIENTE/460232-PROPOSTA-CONCEDE-INCENTIVOS-FISCAIS-PARA-USINAS-DE-ENERGIA-SOLAR-OU-EOLICA.html

http://www.jb.com.br/economia/noticias/2013/01/17/no-brasil-de-muito-sol-a-energia-solar-ainda-e-inviavel-pelo-alto-custo/

http://rmai.com.br/v4/Read/1426/populacao-brasileira-podera-produzir-propria-energia-eletrica-e-fornecer-o-excedente-as-concessionarias-.aspx

http://cienciahoje.uol.com.br/especiais/reuniao-anual-da-sbpc-2013/ceu-ainda-nublado-para-a-energia-solar

http://www.canalkids.com.br/meioambiente/cuidandodoplaneta/sol2.htm